domingo, setembro 30, 2007

No meio do caos aparece uma luz discreta

Abriu os olhos, fez um movimento assustado.
Olhou o relógio, estava atrasada. Não pontualmente atrasada, mas café da manhã, banho demorado, lida rápida no jornal ficaram nos minutos extras de sono.
Era sábado e tinha de trabalhar.
Busca um traz outro leva fita cadê luz.
Deixa a paixão pela frieza da ação.
Não há espaço, tempo, percepção para enxergar a cor dos olhos de quem está a sua volta. Vínculo impessoal com transmitida alegria,
algo comum, um comentário mordaz que poderia não ter aparecido.
Vem suave resposta de quem não reparou em nada, só pedia felicidade.

O silêncio preencheu com paz.





(2000 revisitado)

4 Comments:

Blogger marcello said...

e o silencio preencheu com paz..........adorei isto....... e como andar sozinho pela cidade com seu proprio silencio em paz.......quando nos falamos no balcao na sexta a noite sobre ser so na cidade ou estar so....estar so e em paz....ateliermmello@hotmail.com.......estava com a camisa do internacional,vermelha....so para lembrar.....ate

10:24 AM  
Blogger labaki said...

Cara Renata,
Entristeci-me hoje ao saber da morte de uma amiga comum, Angela, em maio passado. Você poderia me escrever para conversarmos? Grato, beijo, Amir: email-labaki@uol.com.br

12:37 PM  
Blogger Debora said...

adorei seu texto
belissimo

12:46 PM  
Blogger marcello said...

tu anda por aqui ..........ou sera que tu passssaa...distraida.......fiquei curioso..........desde o balcao

6:40 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home