sexta-feira, maio 11, 2007

ASAs


Carlos Dias tem ASAs que funcionam a favor de sua cabeça e suas mãos de mágico. As ASAs batem e sopram talento, força e sentimentos, personificando o que só olhos especiais como os seus conseguem ver. São tantas entidades que o cercam que elas ganham forma, bicos e chapéus, revelado em muita tinta, muita cor.

A história lhe foi generosa e intensa nos 32 anos que passeia por aqui: viveu de tudo, aprendeu demais, deixou outras para trás. Isso influência a maneira como ele vê, como pinta, como sorri. Dispersas em formas de arte plástica, música e até na maneira de levar a vida, as musas desse gaúcho lhe instigam a criar mais e mais.

Para gostar do trabalho do "Carlinhos", como é conhecido pela maioria, é preciso gostar de intensidade. São muitas - as cores, os traços, a maneira como ocupa o espaço. São muitos os mundos que ele vê e reproduz em tela, papel, pedaço de revista, cola e canetão. São infinitas as possibilidades que ele percebe e explora. São diversos habitantes, memórias, anjos e demônios, mitos que ele cria e que joga na cara de quem quer, ou não, ver.



Em "Veraneyo", ele gentilmente divide conosco mais um novo universo criado. É um desses convites para que possamos ir além da visão corriqueira e enxerguemos segredos escondidos. Para gostar do trabalho do Carlos é preciso ultrapassar limites, não ter medo de ser intenso e verdadeiro, como ele.


*Veraneyo fica em cartaz a partir desse sábado 12 de maio na Choque Cultural

4 Comments:

Anonymous e said...

vc escreve gostozo de ler

11:52 PM  
Blogger Renata Oxendorff said...

Hamla hamla hamla hamla.

12:13 AM  
Anonymous b said...

emociona esse texto

12:17 AM  
Anonymous s said...

esse carlos eh rocha!
e vc eh uma coisa tb ne? lol

12:38 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home