quarta-feira, abril 04, 2007

Renaite Entrevista

Arthur Joly é responsável pelo RecoHead, selo que colocou na vitrine da loja de discos mais perto da sua casa bandas como Jumbo Elektro (e todas as outras bacanas maluquices do Tatá Aeroplano), Abimonistas, Labo além de "Vivo Feliz" da excelente Elza Soares.
Fiquei sabendo que eles não mais vão lançar discos em cd, só MP3 e vinil, então chamei Arthur para um papo rápido aqui:

Os novos lançamentos da RH vão ser em vinil e mp3 somente. Por que?

Arthur Joly: Há cinco anos, quando nasceu a Reco-Head, apareceu a primeira distribuidora de Cds independentes, a Tratore.
Descobriu-se um espaço que no Brasil não existia : A prateleira dos discos Independentes nas lojas. Foi um BUM ! Nos três primeiros anos nós conseguíamos "vender" discos, era gratificante e pensávamos que ia durar ...
Mas o Mp3 (no nosso caso o cd pirata não conta), este sim, o Mp3 ficou sendo a maneira mais plausível da nossa música se espalhar. Isso porque é prático e cada vez mais pessoas tem como baixar e ouvir. O Cd passou a ser obsoleto, caro e às vezes difícil de achar.
Já obtivemos receita de vendas pelo i-tunes e outros sites. Por enquanto é um valor quase insignificante, mas pode ser que isso mude. Eu acredito que sim.
O Mp3 é hoje a maneira mais prática de se guardar música. Apesar de não ter a qualidade do vinil ... dá pra guardar mil discos em um ipod...prático, um botão e pronto.
No nosso caso, pretendemos ir além, disponibilizar arquivos zipados contendo não só o disco, mas também incluir vídeos, fotos, slideshows, infos, etc.
E o vinil ? O vinil é para quem ama o objeto que emite som. A capa, o chiado, a coleção. O vinil é objeto de decoração, é para poucos.
A grande maioria das pessoas envolvidas com a Reco-Head têm esse hábito, ouvir vinil. Lançar os nossos discos em vinil é uma maneira de realizar nossos prazeres e disponibilizar este lazer para os que pensam como nós.
O cd é igual ao Dvd que vc tem em casa ... digital, frio e pequeno. Já o vinil .... Ouvir um vinil é uma experiência à parte. É como ir ao cinema.

Você acha que o cd perdeu sua função como material promocional?
AJ:
como material promocional ....
Por enquanto não tem nada mais prático para um jornalista do que receber um cd.
Poucos teriam a paciência para esperar baixar um arquivo de 10 Mega na internet, passar pro i-pod ou queimar um CDR.
Já tentaram presentear jornalistas com i-pods .... Lembra ? Não deu certo também ...
Por enquanto o CD ainda é um bom material promocional. Funciona. Barato, feio e descartável, como um copinho de plástico.

Quais os próximos planos da RecoHead para dominação mundial?
AJ:
Esperar a internet e a telefonia celular interagirem de maneira ágil e funcional.
Fazer um portal onde a pessoa possa entrar pelo seu celular, da praia por exemplo, achar nossa música, dar o donwload e ser cobrada em sua conta telefônica. Agilidade que funcione. 2 minutos e o disco está na sua mão.
Temos que esperar um pouco... As pessoas ainda vão ter que se acostumar com essa nova tendência. Mas assim que estiver tudo funcionando, dominaremos o mundo !!!! ha ha !!!

Pedi para o Arthur escrever uma linha sobre os novos lançamentos da RecoHead:

*Arthur Joly - Jam Joly

O primeiro da série "Arthur Joly Apresenta".Rock de Garagem, psicodélico.









*Fábio Goes - Sol no escuro

O primeiro disco solo do produtor musical Fabio Goes.O disco é melancólico, bonito e maravilhosamente bem arranjado.







*Druques

Rock cru. Melodias e letras inspiradas.









*Mama Cadela (esse não é da recohead mas é recomendado por eles...)

Algo como o Pink Floyd nos seus primeiros discos.

1 Comments:

Blogger ::nani:: said...

eu vi vc, xico sá... na trip???
demais!
to te mandando um email
bjs

10:02 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home